Presos suspeitos de explodirem caixas eletrônicos na Prefeitura de Novo Gama

Três homens suspeitos de explodirem caixas eletrônicos dentro da Prefeitura de Novo Gama, no Entorno do Distrito Federal (DF). Os crimes foram praticados em setembro de 2019 e as prisões ocorreram após a Polícia Federal deflagrar a Operação Fogo contra Fogo, na última terça-feira (13).

Conforme expõe a corporação, os roubos ocorreram no ano passado, quando dois suspeitos entraram armados no prédio da Prefeitura e renderam os seguranças. Em seguida, outros três comparsas chegaram ao local em outro veículo.

Os suspeitos se deslocaram até os caixas eletrônicos, utilizaram maçaricos e abriram os terminais de autoatendimento, colocando explosivos dentro. Após a explosão, o grupo fugiu levando aproximadamente R$ 55 mil. A quadrilha passou a ser investigada desde então.

Além das três prisões, também foram cumpridos três mandados de busca e apreensão em endereços vinculados aos investigados com o objetivo de identificar outros envolvidos. As medidas foram autorizadas pela Justiça Federal de Luziânia.

Um dos presos tinha trabalhado em um cargo comissionado na própria prefeitura de Novo Gama e outro possuía diversas passagens criminais por assalto a banco, tendo cumprido mais de 20 anos de prisão.

Contradição

A informação da Polícia Federal acerca do roubo aos caixas eletrônicos em Novo Gama contrapõe aos dados apresentados pela Secretaria de Segurança Pública de Goiás (SSP-GO), no último dia 6 de outubro. Na ocasião, a pasta afirmou que o estado está há 17 meses sem registros de roubos a instituições financeiras, ou seja, desde maio de 2019.

Conforme a PF, porém, o roubo aos caixas eletrônicos na cidade goiana localizada no Entorno do DF ocorreu em setembro de 2019. O Mais Goiás entrou em contato com a SSP-GO em busca de posicionamento e aguarda retorno.

Compartilhe: