Idosa que achava que namorava Bruno Mars perde R$ 537 mil para golpista

Chinwendu Azuonwu foi acusado de fingir ser o cantor Bruno Mars no Instagram para começar um namoro online com uma idosa de 63 anos e convencê-la a depositar US$ 100 mil (cerca de R$ 537 mil) em contas a que ele tinha acesso. O morador de Houston, nos EUA, passou pela sua primeira audiência nesta terça-feira (9) e é acusado de lavagem de dinheiro.

Segundo os documentos de acusação anexados ao processo, Azuonwu está ligado a um esquema ilegal que aconteceu entre os meses de setembro e outubro de 2018. A idosa, moradora do norte do Texas, revelou à polícia que criou um perfil no Instagram como uma forma de buscar companhia.

A vítima, que não teve a identidade revelada, contou aos investigadores que uma pessoa usando o nome do cantor Bruno Mars a procurou na rede social. Ela acreditou que o cantor tinha interesse em se relacionar com ela e acabou se apaixonando por ele.

A idosa ainda disse que realmente achava que estava falando com o cantor porque a pessoa por trás da conta tinha enviado diversos textos e fotos do artista. O golpista ainda afirmava que estava em turnê, mas que pararia de fazer shows para ficar com ela.

Em determinado momento, o então namorado famoso começou a pedir dinheiro para a vítima, solicitando que ela pagasse um cheque de US$ 10 mil (cerca de R$ 53 mil) a um “amigo da banda” para “despesas da turnê”. Dois dias depois do pedido, o homem solicitou uma transferência no valor de US$ 90 mil, que também foi feita pela vítima.

Os dois valores foram depositados em contas diferentes, de acordo com a estação local KTRK-TV, que eram acessadas por Azuonwu e um suposto cúmplice chamado Basil Amadi. Os investigadores encontraram os depósitos e a retirada dos US$ 90 mil.

Azuonwu e Amadi agora enfrentam acusações por lavagem de dinheiro.

O Tribunal de Justiça do Condado de Harris determinou que a fiança de Azuonwu seja fixada em US$ 30 mil (R$ 161 mil).

DEIXE SEU COMENTÁRIO
Compartilhe: